Paloma Coelho

domingo, 26 de maio de 2013

Seja bem vinda casa dos 7...

Em fim, chegou a tão esperada casa dos 70. 79,900 gente, só quem pesou 129 kg, teve três dígitos e foi derrubando casa   a casa sabe o valor de se ter 79,900, estou 5 kg a cima do meu peso ideal, ainda estou no sobre peso mais faltam apenas 5 kg para eu deixar de ser gorda , gordinha , cheinha e estar no meu peso certo , meu peso ideal segundo meu IMC, não sabe como foi difícil essa caminhada mais valeu a pena cada passo. Porém a luta não acabou. Vamos que vamos...

domingo, 19 de maio de 2013

Bom dia amores e amoras , como estão todos? Eu estou bem, apesar do estresse do dia a dia tem que urgente mente fazer acupuntura , terapia , alguma coisa que seja uma válvula de escape ou eu vou sucumbi .
Novidades não tenho muitas mais vamos a fotinhas que sei que elas piram ...
Foto  ( Esse foi o look de domingo passado)




                                                              Dia do meu niver

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Projeto Panicat


Não basta ter eliminado 47 kg, ter saúde e se sentir linda, tem que esta gostosa kkk, quero sempre mais e vamos que onde eu quero chegar não se chama pelo nome.

quarta-feira, 1 de maio de 2013

6 razões que vão convencer você a começar uma Reeducação Alimentar


Emagrecer favorece novas amizades, melhora a saúde e aumenta a auto estima

A melhor percepção de que o emagrecimento está ocorrendo vem com as roupas ficando larguinhas, a diminuição do número da calça jeans e a sensação (deliciosa!) de entrar naquela roupa tão sonhada.
Abrir mão de um bolo de chocolate ou daquela lasanha com queijo repuxando só mesmo por um grande motivo. Vestir aquela calça linda (e que está encostada no guarda roupas há meses), ter prazer em se olhar no espelho ou receber um elogio médico, ao controlar as taxas de colesterol e glicose, são alguns deles.
Essas pequenas conquistas são um grande estímulo para quem está iniciando um regime. Sabendo disso, montei uma lista que pode ajudar você a deixar a preguiça de lado e começar já uma dieta. Mas essas são só algumas idéias. Que tal você montar a sua própria lista devantagens e pregar num lugar bem visível? Tenho certeza de que, com elas por perto e com a ajuda de um bom programa alimentar, você vai emagrecer mais rápido do que imagina.Mas, se precisar de uma forcinha a mais, conte comigo. A equipe do Dieta & Saúde está à sua disposição para ajudar na conquista do seu peso ideal. Até a próxima, Roberta Stella, Chefe da equipe nutricional do Dieta & Saúde.
1- Melhora a imagem corporal: com o emagrecimento, a aceitação do corpo passa a ser maior. A melhor percepção de que o emagrecimento está ocorrendo vem com as roupas ficando larguinhas, a diminuição do número da calça jeans e a sensação (deliciosa!) de entrar naquela roupa tão sonhada. Para muitas pessoas, esse é o maior motivo e estímulo para emagrecer.
2- Aumenta a disposição: o excesso de peso faz com que a vontade de fazer algum tipo de atividade física e enfrentar alguma situação específica fique diminuída. Até pequenas atividades, como calçar um sapato e agachar, ficam dificultadas com os quilos a mais. Com uma pequena redução de peso, o aumento na disposição já será percebido.
3- Equilibra as relações pessoais: pessoas que aceitam melhor o seu corpo e apresentam uma maior auto-estima, têm uma melhor relação com as pessoas e ficam mais abertas em fazer novas amizades e contatos profissionais. Além de aumentar o leque de amigos, novas oportunidades poderão surgir.
4- Resgata a auto estima: frustração, culpa, rejeição, insegurança e a necessidade de agradar a todos podem surgir em pessoas que tem um histórico de excesso de peso ediversas tentativas frustradas em conseguir emagrecer. Com a perda de peso, a imagem que você tem de si mesmo é melhorada e fica fácil se gostar mais.
5- Restaura a saúde: pessoas com taxas desreguladas de colesterol e glicose sangüínea, além de pressão alta, perceberão melhoras com o emagrecimento. Pessoas com obesidade, quando o IMC está acima de 30, reduzindo 10% do peso inicial já perceberão redução significativas dessas alterações.
6- Favorece atitudes positivas: com o emagrecimento, há uma atitude positiva para enfrentar os problemas e as dificuldades do dia-a-dia, decorrente do aumento da disposição e da auto-estima.

Comprometimento é fundamental para quem deseja perder peso


Seguir orientação profissional e aprender a controlar as emoções facilita a tarefa

Imagem ilustrativa
O processo de perda de peso é mais complexo do que parece, pois envolve não só a reeducação alimentar, mas também a reeducação emocional. Afinal, todo mundo sabe que para poder emagrecer é necessário gastar mais calorias do que consumir. Alcançar tal meta, entretanto, não é nada simples e alguns fatores são fundamentais para que se alcance o sucesso.


Um passo importante para quem quer começar essa empreitada é procurar profissionais habilitados, como uma nutricionista, um psicólogo e um educador físico, e sempre buscar uma segunda opinião. Ouço diversos relatos de pessoas que foram submetidas a dietas malucas ou que receberam receitas de remédios milagrosos.


Não faltam no mercado, nas revistas e na internet sugestões e produtos que prometem o emagrecimento fácil, mas sabemos que eles não são efetivos e podem levar ao efeito sanfona ou ao surgimento de transtornos alimentares.


Quando realmente decidimos perder peso de forma adequada, além dos profissionais citados, é necessário mudar comportamentos e isso implica em comprometimento com o desejo de mudança e consigo mesmo.


Esse processo depende de organização e disciplina, pois uma das orientações prescritas pelos nutricionistas é alimentar-se a cada três horas, uma medida simples e coerente, mas que pouquíssimos cumprem. Muitos são os fatores que influenciam o real desejo de perder peso ou mantê-lo, alguns até inconscientes.


Quando assumimos a responsabilidade de perder peso, devemos ter total consciência de que uma orientação adequada resolve apenas parte do problema. A outra é buscar meios de seguir essas diretrizes e isso demanda organização e disciplina.


Por outro lado, defrontamo-nos com pessoas que não seguem essas orientações e nem sempre por falta de organização. Algumas delas acreditam que adotando outras estratégias, como comer menos, por exemplo, também alcançarão o objetivo de perder peso.


Esse último grupo segue a máxima do "tudo ou nada", ora comendo em excesso, ora não comendo nada. Nenhuma dessas opções é adequada e isso nos leva a pensar novamente no porque é tão difícil se comprometer consigo mesmo. Sabotagem? Quais são as mudanças que irão ocorrer caso eu emagreça? Como vou me sentir sendo admirada? Vou conseguir manter o peso magro? E se eu tentar e fracassar? Os amigos e a família irão me cobrar? Sentimento de impotência?


Podemos enumerar vários aspectos, porém cada um tem sua história de vida e a relação entre a comida e as emoções variam de acordo com suas crenças, vivências e formas de lidar com a tristeza, alegria e ansiedade.


Desta forma, poder passar por um processo de autoconhecimento vai auxiliar no desenvolvimento de uma melhor percepção dos sentimentos, promovendo a aquisição de ferramentas internas e externas que irão possibilitar lidar com as emoções e a comida de forma assertiva.


A psicologia é um aliado nesse trabalho, pois eleva a autoestima, ampliando, assim, as condições de se realizar mudanças na vida, incluindo a organização e a disciplina que toda reeducação alimentar necessita.


É fundamental que cada um posso se perguntar o que o impede de alcançar os objetivos, permitindo-se olhar si próprio.

Transforme você em prioridade e melhore a autoestima


Organizar melhor a rotina acaba com o estresse e faz seu tempo render

Procure se organizar no começo de cada semana, separando um momento para você.
Você mal consegue pensar em si mesmo de tão lotada que sua agenda anda ultimamente. Trabalho, família, relacionamento e compromissos sempre estão na frente de tudo, por mais que você lamente e tenha o desejo de fazer diferente. "A falta desse instante pessoal é um baque para a saúde e a autoestima, seu relógio biológico está sempre em atraso e o corpo vive cansado e sob estresse", afirma a psicóloga Andreia Calçada, especialista em Psicopedagogia Clínica, do Rio de Janeiro. Se você está sentindo na pele o peso de uma rotina atribulada e não vê a hora de dedicar um tempinho para si próprio, aproveite as dicas dos especialistas e aproxime esse momento.
 
Planeje o seu tempo
Procure se organizar no começo de cada semana, separando um momento para você. Contar com a sorte para arranjar um tempinho de sobra, normalmente, é furada. "Planejar as suas atividades deixa você mais preparado até para imprevistos, o que traz mais segurança e certeza de que terá o seu momento exclusivo", afirma a psicóloga Fabiana Albino Diniz, do Centro de Referência em Medicina Preventiva da Unimed Paulistana.

Reunião de uma pessoa só
Não encare o momento para si mesmo como uma janela na sua agenda, que pode ser preenchida se alguma urgência do trabalho aparecer, mas sim como uma reunião com você mesmo, que não pode ser desmarcada. Comece com 15 minutos reservados e tente aumentar aos poucos. Certamente haverá censura de algumas pessoas que precisam de você, ignore. "Se preferir, nem explique o que está marcado, diga apenas que é um compromisso pessoal", afirma Andreia Calçada. "Sem essa pausa, vai chegar a um ponto em que você não vai conseguir mais o mesmo desempenho de sempre, tamanho o estresse."

Gaste esse momento sem trapacear
Pare para pensar: o que você realmente gosta de fazer? "Parece ser uma pergunta fácil, mas tem gente que passa tanto tempo sem pensar em si que mal consegue responder", afirma a psicóloga Andreia. Ela também recomenda se olhar no espelho: o que está te incomodando? É hora de cuidar desses pontos, a sua autoestima vai sentir os efeitos. Não vale usar esse tempo livre para quebrar o galho de alguém ou fazer a compra de supermercados da família.

Livre-se do que ocupa tempo no seu dia
Se soar absurdo ter um momento para você com tanta correria na rotina, faça uma poda na sua árvore de compromissos: corte as "pontinhas" que não fazem tanta diferença, como o hábito de arrumar todo dia a casa do mesmo jeito impecável, ir ao supermercado diversas vezes por semana, passar horas apenas bisbilhotando as redes sociais ou abrir todos os e-mails da sua caixa de entrada. O tempo poupado vai ser suficiente para você aproveitar do jeito que bem entender e relaxar um pouco.

Procure identificar o que te faz infeliz
Você é prioridade, então, repense o que te faz mal na rotina: a insatisfação no ambiente de trabalho, o trânsito, algum desentendimento dentro de casa, os quilos extras ou outro problema qualquer. "Muitas situações difíceis podem ser contornadas se você mantiver a força de vontade e souber o que quer", afirma Andrea Calçada. Pode ser uma mudança bem gradual, mas a simples sensação de que você pode - e vai - deixar as coisas melhores para si já serve de calmante.

Diga não aos outros
Chega de engolir sapos, é impossível agradar todo mundo a todo o momento. "Cada um acha que a sua própria solicitação é mais importante, então é preciso que você avalie se realmente o pedido dos outros é urgente a ponto de você parar o que está fazendo", afirma a psicóloga Milene Rosenthal, do projeto Psicolink. Ter de interromper toda hora o que você está fazendo para atender demandas de outras pessoas pode causar a sensação de que você é incapaz de realizar as tarefas e não tem domínio sobre o seu tempo.

Peça ajuda quando necessário
Pare de vestir a capa de super-herói, ninguém dá conta de tudo sozinho. "Tem gente com medo de pedir ajuda e passar a impressão de incompetente, mas certamente outras pessoas já pediram uma mão sua e, nem por isso, você classificou como alguém incapaz", afirma a psicóloga Andreia. Pare de querer perfeição, pois tentar fazer tudo sozinho pode trazer resultados muito piores do que ter ajuda de outras pessoas.

Pense em... nada!
Vá para um lugar livre de outras pessoas, fique em silêncio e leve a mente para longe de tudo. O seu corpo merece essa pausa, que pode ser de apenas cinco minutos. "É uma questão de respirar e tentar descobrir o que você está sentindo, o autoconhecimento não deve ser deixado de lado", afirma Andreia Calçada. De quebra, você descarrega o peso do estresse e volta com mais disposição para as tarefas.
Fonte: Minhavida

Siga este plano para cumprir as promessas de 2013 sem estresse


Siga este plano para cumprir as promessas de 2013 sem estresse

 

Excesso de tarefas e frustrações devem passar longe da rotina com os cuidados certos

Separe um momento para cada item ser realizado.
O novo ano mal começa e já há uma infinidade de metas: emagrecer, ter mais tempo para a família, fazer exercícios... Mas é difícil adequá-las à rotina corrida e cheia de responsabilidades. Quando você se dá conta, já está tão ocupado e estressado que não tem vontade de cumprir nada do planejado. Que tal evitar essa situação e adotar desde já um pacote de medidas para evitar o estresse durante o ano todo? Com mente e corpo tranquilos, haverá muito mais disposição para enfrentar os 12 meses que vem por aí e alcançar os objetivos. Confira a lista que preparamos com sugestões de especialistas.

Estabeleça menos metas
Metas são novas tarefas que você irá encaixar na rotina. Quando você se enche de compromissos, ficará mais estressado e esgotado a cada dia. "Estabeleça no máximo 10 metas para um ano, porque mais do que isso pode gerar ansiedade e perda de foco", afirma o psiquiatra Jairo Mancilha, especialista em programação neurolinguística e diretor do Instituto de Neurolinguística Aplicada (INAp), no Rio de Janeiro. Todo mundo almeja uma porção de coisas, mas há aquelas que são mais importantes - faça uma reflexão e eleja as melhores.


Metas motivadoras
Pouco adianta estabelecer uma meta que você acha chata ou não vê tanto sentido - será um peso a mais na sua rotina e dificilmente você irá levá-la até o final. Para driblar as dificuldades que você irá encontrar no caminho, invista em formas de motivação e evite ser radical demais, como cortar totalmente os doces da dieta quando objetivo é emagrecer. "Procure saber também exatamente por que você quer alcançar a meta, pois assim você ficará mais motivado para iniciar a jornada", diz o psiquiatra Jairo.
O médico sugere algumas perguntas que ajudam a estabelecer metas mais motivadoras:
- O que você ganhará com essa meta?
- O que esse ganho irá te trazer depois?
- Como você poderá viver e desfrutar desses valores e sentimentos enquanto executa o que for necessário para consegui-la?


Planeje-se para cumprir o que deseja
Não dá pra iniciar tudo de uma vez, então experimente começar uma meta nova por mês. Para que as metas anteriores não sejam perdidas, faça sempre lembretes em lugares visíveis para ser lembrado. "O fato de escrevê-la irá ativar o inconsciente para trabalhar em uma direção", indica Jairo Mancilha. Aos poucos, será mais fácil se organizar e se adaptar às mudanças que esses objetivos representam, sem atrapalhar a sua rotina e deixar os nervos à flor da pele.


Plano B na manga
É preciso estar preparado para driblar a frustração quando o objetivo não é alcançado. "Esteja ciente de que é possível encontrar dificuldades durante o percurso e procure ter um plano B", recomenda o psiquiatra Jairo. Se a sua meta é praticar exercícios, por exemplo, e você ficou até mais tarde no trabalho, tenha planejada uma série mais rápida do exercício para não deixar de lado o objetivo.


Não se engane
"Um dos meios mais comuns de boicotar a meta é o de sempre encontrar 'coisas' mais importantes para fazer do que a atividade que havíamos proposto a realizar", conta o psicólogo Fernando Elias José. Isso só retarda a meta e aumenta a frustração por parecer estar sempre longe dela, gerando uma sensação de incompetência. Quanto mais você atrasa, mais coisas ficarão acumuladas no futuro e maiores serão as chances de o estresse dominar os seus dias. Dê um basta na preguiça.


Separe o momento de cada coisa
Tem hora para tudo: hora pra trabalhar, hora pra relaxar e hora para se dedicar a sua meta. Tente dividir o seu dia em pequenas doses desses momentos para não se sobrecarregar demais só com um e acabar comprometendo os outros. O momento de lazer é o que mais costuma ficar de lado injustamente, pois é exatamente ele que deixará você com a bateria carregada para ir atrás dos objetivos.


Comemore cada passo dado
Cada avanço que você dá em direção à meta final deve te trazer satisfação e motivação para continuar no caminho. O especialista em neolinguística Jairo recomenda dividir a meta em outras pequenas quando ela parecer muito grande e quase impossível de ser concretizada. "Ao atingir uma parcela da meta, por mais pequena que seja, a pessoa se sente mais empolgada para persistir", explica o médico.


Tenha um tempo só para você
A correria às vezes é tanta que fica difícil pensar no que você quer e gosta de fazer. O problema é que, segundo os especialistas, a falta de ter um instante pessoal prejudica a saúde e a autoestima, deixando o corpo sempre cansado e sob estresse. Criar uma brecha para cuidar de você deveria estar no topo de todas as metas.


Respire e recomece!
Se nada está saindo como você gostaria, faça uma pausa, que seja umas férias ou cinco minutos do seu dia. O momento deve ser suficiente para respirar, levar os pensamentos para longe e manter a consciência de que você está dando o seu melhor. Se achar necessário, repense as suas metas e objetivos ao chegar em casa, ou simplesmente planeje melhor o dia seguinte para estar forte e disposto a enfrentar o que quer que possa acontecer. "O planejamento das tarefas a serem realizadas no dia seguinte certamente irá auxiliar a diminuir a ansiedade que foi desenvolvida no dia anterior", conta o psicólogo Fernando.

Fonte: Dieta e saúde