Paloma Coelho

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Gorda em recuperação...

Boa noite amores e amoras, vi um site muito interessante sobre um livro chamado Magra? não. Gorda em recuperação. Acho que vale a pena dar uma olhada no site á tem como baixar o livro quem quiser só olhar "http://www.gordasemrecuperacao.com.br". Sobre o que ele fala em ser um gordo em recuperação :


  1. Assumir-se como gordo.
    • Uma das primeiras e grandes dificuldades das pessoas que sofrem com a gordura é assumirem-se como gordos. O auto preconceito é determinante e todos preferem achar que estão gordos e não que são gordos.
    • Aí você pode perguntar, que mal há em acharmos que estamos gordos e não que somos gordos? O mal está no fato de que todas as pessoas que não reconhecem sua compulsão pela comida e a sua condição orgânica para aumentar o peso, passam a vida inteira envolvidas no famoso EFEITO SANFONA. Quando estão quilos acima do desejado se entregam aos mais variados tipos de dietas. Ao perderem peso acreditam estarem magras e voltam a comer compulsivamente e voltam a engordar. Ou seja, independente do peso podemos enquadrar como gordos aquelas pessoas que tem compulsão pela comida. E como todo vício a compulsão pela comida não tem cura mas tem controle.
  2. Identificar a compulsão pela comida.
    • Identificar o vício para começar o controle. Não somente as pessoas gordas são viciadas em comida. Existem muitos magros compulsivos que serão gordos no futuro. A diferença entre esses dois perfis distintos de compulsivos pela comida está no fato de que os magros compulsivos normalmente apresentam disposições orgânicas favoráveis a uma maior consumo calórico, ou seja, tem um metabolismo basal* mais acelerado e engordam muito mais devagar do que pessoas que apresentam esse mesmo metabolismo muito mais lento. Em outras palavras, com o mesmo consumo calórico, em um único dia por exemplo,  teremos pessoas que engordarão 50 gramas enquanto que outras aumentarão meio quilo mesmo com fatores de atividade física semelhantes.
    • A prática de exercícios também é um ponto a favor dos magros compulsivos pela comida. Muitos conseguem manter uma atividade física regular. Mas com a falta de consciência sempre chega o dia em que a compulsão progride e a prática de exercícios diminui. Bom exemplo disso são as centenas de atletas que após se aposentarem da vida esportiva passam a ganhar dezenas de quilos tornando-se pessoas gordas.
    • Por isso todas as pessoas “viciadas em comida” podem ser um gordo em recuperação. Ter consciência do processo que o levará a aumentar 5 quilos em 5 dias ou cinco quilos em cinco anos. Não importa. Todos precisam de ajuda e quanto antes assumirem o controle da compulsão melhores resultados porque como diz a velha máxima: prevenir é muito melhor que remediar.
  3. Reeducar a mente
    • Mudar a sintonia dos pensamentos. Todo compulsivo pela comida passa o dia inteiro pensando, sonhando, desejando comer. É preciso mudar. Parar de dizer e de se justificar dizendo que comer é a melhor coisa do mundo. Acordar pensando em comer, trabalhar pensando em comer, dormir pensando em comer, viver pensando em comer. Não há gordo no mundo que consiga controlar o peso sem melhorar primeiro a cabeça que irá levá-lo aos deslizes.
  4. Buscar o equilíbrio
    • Equilibrar a mente exige do gordo muita coragem para olhar para os próprios defeitos. Requer cima de tudo vontade e determinação para melhorar. Identificar todos os pensamentos e a sintonia compulsiva que alimentam a todo instante o desequilíbrio com relação à comida. E preciso aprender a se compreender, se aceitar, se conhecer melhor para conseguir todas as forças necessárias para mudar.
    • Deus é a fonte de força maior para que cada gordo consiga vencer essa grande batalha de controle da compulsão pela comida. Isso porque tudo leva o compulsivo a comer, felicidade, tristeza, angústia, conquista. Não importa se o sentimento é bom ou ruim. O gordo busca na comida a resposta, a saída e a contemplação de tudo. Uma prática de busca pelo prazer que não irá mudar de uma hora para a outra e que desencadeará sofrimento, ansiedade e muita dificuldade durante todo o processo de mudança. Para conseguir acalmar o coração nesses momentos de “abstinência” e desequilíbrio é preciso focar nossa força interior. Fé, oração, paciência, para que o amor de Deus que está a nos guiar possa nos auxiliar a ultrapassar cada momento de dificuldade.
    • As dificuldades do cotidiano, problemas familiares, profissionais, de saúde. Todos empurram o gordo para o desequilíbrio extremo. Todos empurram o gordo para a comida. Mais uma vez a fé deve tomar conta dos nossos corações para buscar tranqüilidade e seguir.
  5. Aprender sobre os alimentos
    • Conhecer os alimentos e suas calorias é fundamental para pararmos de dizer que engordamos sem comer nada. Recomendamos a “Nova Dieta dos Pontos” livro da Editora Abril, de autoria do doutor Alfredo Halpern, como uma forma de aprender e obter resultados eficientes através do controle das calorias que ele classificou de forma simplificada ao apresentar o sistema de pontos onde cada caloria é dividida por 3,6. Mais informações.
  6. Ser disciplinado para anotar, aprender e mudar.
    • “Eu comi tão pouco. Não sei por que não perdi peso”.Está comprovado que a disciplina para anotar e somar os pontos dos alimentos consumidos a cada dia, bem como os pensamentos de gordo, aumentam em até 3 vezes o resultado da perda de peso. Esses números são provados pelo primeiro grupo em funcionamento do Programa Gordas em Recuperação que verificou a perda de peso até 3 vezes superior entre as pessoas que anotaram com relação aquelas que tentaram diminuir a alimentação sem terem o real controle da situação. Isso acontece por dois motivos que se interligam. A falta de conhecimento sobre o valor altamente calórico de muitos alimentos e a tendência do gordo de se enganar com a falsa idéia de que está seguindo de maneira regular o programa. Normalmente essas pessoas encontram o caminho para aprender a manter o peso. Realmente diminuem a quantidade de comida, mas com parâmetro na sua alimentação anterior desregrada e descontrolada e não com base no seu limite de consumo diário. Por isso disciplina é fundamental e se reverte em resultados.
  7. Pesar-se todos os dias
    • Já que aceitamos a facilidade para engordar. Vamos encarar a verdade de frente. O ganho ou perda de peso são diários por isso todo gordo precisa aprender a ser amigo fiel da balança. Esperar uma semana para se pesar pode significar pelo menos um quilo a mais que você podia ter controlado quando eram apenas alguns gramas.
    • Durante o programa percebemos que algumas pessoas terminam ficando alguns dias sem se pesar e como a balança funciona como um fiscal do nosso comportamento, essas pessoas terminam mais uma vez se enganando e como muitas vezes não anotam o que comem podem perder ainda mais o equilíbrio e se voltar para a comida. Com a balança é possível perceber no dia seguinte o deslize do dia anterior e resolver a questão com exercícios ou com uma melhor disciplina alimentar. Esperar para saber o quanto engordou só vai piorar o problema. Isso porque normalmente não nos pesamos porque sabemos que extrapolamos. Sabemos que comemos para engordar e não queremos constatar.
  8. Evitar grandes deslizes que comprometem o resultado da semana.
    • O programa tem sua avaliação em reuniões semanais e saídas desregradas podem comprometer todo o resultado de uma semana inteira de sacrifícios. “Como é difícil perder peso. Só por causa de uma saidinha eu não emagreci”. É verdade. E deve ficar feliz se não tiver engordado. Bebidas, tira-gostos. Um gordo não sai para se divertir, nem para compartilhar com os amigos um momento especial. Sai para comer. E isso provoca uma coisa inevitável. Depois de uma semana inteira de sacrifícios, disciplina e vontade de mudar, as saídas de final de semana, ou de semana mesmo, equilibram o consumo calórico o que faz muitas vezes o gordo em recuperação manter o peso no lugar de perder. Essa mesma pessoa, se não tiver tido muita disciplina durante a semana, com as “saídas” fatalmente vai engordar. Por isso é preciso perceber que temos que mudar o nosso comportamento. Saber o que pedir num restaurante, saber o que escolher numa festa, beber dentro do limite de pontos que temos para não engordar. Quer controlar o peso? Vai precisar mudar. Não é mais comer e beber que é a melhor coisa do mundo. A melhor coisa do mundo somos nós. A nossa saúde, as nossas vitórias, as nossas conquistas, a nossa melhoria.

4 comentários:

  1. Muito importante essas dicas, estou te seguindo...

    Bjux, Chris!

    ResponderExcluir
  2. oie... q legal esse livro heim.. vou baixar ele... mas ja me interessei...

    e vamus q vamus q o verao ta xegando com tudo...

    axo q falta uns 55 dias...

    bjkas e juizo heim... final de semana se aproximando...
    linda kinta

    ResponderExcluir
  3. Já li esse livro.. super legal. foi logo qd iniciei minha R.A. dá um grande estímulo!!!
    Bjuxxx
    Ótimo dia!!!

    ResponderExcluir
  4. oi Paloma! obrigada pela visita no meu blog, vou acompanhar vc tb.
    Vi que temos a mesma altura, e eu comecei com 118kg, tb pretendo chegar aos 70kg.
    É um longo caminho, mas com determinação a gente vai conseguir!

    Adorei a dica do livro! Beijos

    ResponderExcluir